Entenda os mitos e verdades sobre mudanças no estilo de vida

Para quem deseja melhorar sua saúde e bem-estar, a dica é adotar bons hábitos e um novo estilo de vida. Uma alimentação saudável aliada à prática de atividade física proporciona inúmeros benefícios ao corpo e à mente. Essa combinação reduz a incidência e o risco de doenças metabólicas como obesidade, hipertensão e diabetes tipo 2, além de depressão, stress, câncer, entre outros.

Entretanto, de acordo com o médico e nutrólogo Lucas Penchel, muitas pessoas que optam por um novo estilo de vida, precisam fazer dieta, praticar exercícios ou parar de fumar e não conseguem. “Mudanças drásticas costumam provocar efeito rebote, fazendo com que o paciente retorne aos velhos hábitos nocivos. Todavia, pequenas trocas inteligentes podem proporcionar muitos ganhos para a saúde, além de funcionar como um gatilho para a adoção de novos costumes saudáveis”, afirma.

O médico alerta para alguns mitos sobre substituições que prometem ser saudáveis, mas não são. “Algumas mudanças no estilo de vida podem ser tão maléficas quanto o fator de risco original que foi substituído. É preciso se informar e, principalmente, buscar uma avaliação profissional. Somente um médico poderá indicar o que é melhor para cada caso”.

Veja abaixo alguns exemplos sobre as mudanças no estilo de vida:

Dietas pobres em gordura ou carboidratos são adequadas para perda de peso?

Mito. Há algum tempo as pessoas utilizam dietas pobres em carboidrato, proteína ou gordura para a perda de peso. Atualmente, a dieta pobre em carboidratos e rica em proteínas tem sido amplamente adotada.

Apesar de ser benéfica para a perda de peso, essa dieta também foi associada ao aumento do LDL (colesterol). Além disso, há gorduras boas que, se consumidas com moderação, fazem bem à saúde.

O adoçante artificial é melhor que o açúcar para a perda de peso?

Verdade. De acordo com Penchel, estudos indicam que o consumo de açúcar não deve ultrapassar 10% das calorias diárias. O adoçante artificial vem como uma opção para substituir o açúcar. Se utilizado moderadamente, ele pode até suprir o desejo que a pessoa tem por comer doce.

Exercícios de alta intensidade são mais efetivos que os de baixa intensidade?

Verdade. Para se ter uma vida saudável, o US Department of Health and Human Services recomenda uma média de 150 minutos de atividades físicas de intensidade moderada ou 75 minutos de exercícios de alta intensidade. O exercício deve variar de acordo com o objetivo da pessoa. Se ele for melhorar o condicionamento físico e o risco de doenças cardiometabólicas, a atividade moderada é suficiente. Somente se for aliada à uma dieta, ela proporciona perda de peso.