Cada organismo feminino atua de uma maneira diferente quando se trata de menstruação. Mas não importa a intensidade, pelo menos uma mulher já menstruou no verão.

Tudo o que você precisa saber sobre menstruação e verão

Cada organismo feminino atua de uma maneira diferente quando se trata de menstruação. Algumas mulheres podem menstruar por apenas 3 dias e outras por uma semana. Mas não importa a intensidade, pelo menos alguma mulher já passou ou vai passar o verão, menstruada.

Segundo a ginecologista Ilza Maria Urbano Monteiro, para aproveitar os dias de sol, a melhor opção é a hidratação. “Estar hidratada irá ajudar a amenizar alguns sintomas da TPM, como a dor de cabeça e o inchaço”, explica.

Água mineral, água de coco e sucos naturais são bons aliados. Além disso, para quem costuma reter muito líquido, a especialista diz que “é bom evitar o consumo excessivo de cafeína, chocolate e sal. O álcool também deve ser ingerido com moderação. Isso por que, além dos efeitos colaterais já conhecidos, ele pode resultar em um esquecimento da pílula anticoncepcional para quem a toma.”

Em relação ao tipo de absorvente, Ilza revela que o verão não é a hora para começar novos hábitos, principalmente se você está no meio de uma viagem. “Como é um período diferente, é melhor não fugir muito do padrão. Se você está acostumada com o absorvente interno, mantenha-se nele. Caso você prefira o coletor e já esteja adaptada, ele é a sua escolha ideal”, afirma a médica.

Uso de absorventes internos

Para quem optar pelo absorvente interno durante a menstruação, não é recomendável usá-lo por tempo prolongado. “É muito importante que a troca não passe de 6 a 8 horas. Mas, se passar muito tempo submersa, principalmente na piscina, é possível que o absorvente interno molhe e aí ele deve ser trocado”, recomenda. Já no segundo, é necessário que o coletor seja lavado constantemente a cada troca. Contudo, cada mulher deve analisar, conhecer e entender o seu período para que saiba a intensidade de seu fluxo.

Outra preocupação necessária, principalmente se você tem tendências a infecções ginecológicas, é com a umidade do biquíni ou maiô. Por isso, a especialista indica não passar muito tempo com essas peças molhadas no corpo.

Com relação à emenda da cartela do anticoncepcional, a ginecologista diz que não há restrição para fazer. “O ideal, entretanto, é se organizar com antecedência. É possível programar, junto ao seu ginecologista, para que o sangramento aconteça antes da viagem. Quando a mulher começa a emendar cartelas, podem ocorrer os escapes menstruais, mas com o tempo eles vão se espaçando e é possível passar grandes períodos sem nenhum sangramento.  Se essa é a sua primeira vez emendando, as chances de ficar sem menstruar são baixas, em torno de 20% de conseguir que não aconteça uma menstruação. O fluxo sempre vai diminuir, mas não é garantia que vai ficar sem sangrar nada” explica.